Revistas femininas x Blogosfera

06jul09

onciinha ana Eu sou o tipo de pessoa que antes de tomar qualquer decisão pesquisa um milhão de vezes. Se quero cortar o cabelo, procuro o corte ideal durante semanas, até decidir. Se vejo uma cor de cabelo bonita, anoto o nome de quem tá usando e dou uma ‘googlada’ depois. Comprar um creme novo de cabelo? Só se ler uma boa resenha antes.  Uma festa, casamento, formatura? Procuro vídeos e fotos na internet pra me inspirar.

E foi assim que descobri o It Girls. E o Dia de Beauté, Oficina de Estilo, Vende na Farmácia e todos os blogs que estão no meu Reader hoje. Apartir disso descobri que essa troca de informações que rola na blogosfera é muito mais atualizada, além de muito mais real do que a que a gente lê nas revistas.

Acontece que revistas femininas, em sua maioria, acham que as mulheres absorvem qualquer coisa que eles publiquem. Exemplo disso são as famosas 1001 idéias de sexo, da revista Nova. Sem contar os produtos de beleza que chegam aos montes nas redações e, sem serem testados, aparecem ilustrando matérias. Não compro um produto porque ele apareceu na matéria X da revista Y.  Mas compro de olhos (quase) fechados algum produto que as Trendy Twins tenham falado bem.

Aprendi, com dor (no bolso), que vale muito mais a opinião de um Resenha de Leitora, no VnF? do que a palavra de a vendedoras, atendentes ou coisa que o valha. Aprendi também que aquelas dicas do tipo ‘para ter um cabelo como o da Gisele, seque-o em um coque’ não dão certo e que o Marco Antônio de Biaggi é fonte pouco confiável – ainda mais depois que ele passou a ser ‘garoto propaganda’ de algumas marcas.

Sei que o que é bom pra alguém, pode não ser pra mim, mas apesar disso, confio muito mais no que diz uma blogueira no que o que diz qualquer revista e/ou vendedora. Com o lápis Black Jade, do Boticário, foi assim. Quando vi a Marina, falando sobre ele no Petiscos, saí correndo para comprá-lo. Mas se chegasse em uma das lojas da rede e a vendedora tentasse me ‘empurrar’ o produto, não compraria, de certa.

Pra mim (e olha que sou jornalista, cresci lendo Capricho e adoraria trabalhar em uma revista feminina), com o crescimento da blogosfera cor-de-rosa, a credibilidade das revistas femininas caiu por água abaixo. Exatamente por achar que a leitora ‘engole’ qualquer coisa. Pegue uma edição da revista Nova de 2005, por exemplo. As pautas serão as mesmas da edição deste mês.

A leitora, que nunca teve voz nos veículos dedicados à ela, cansou de pagar dez reais por uma revista que não tras nada de novo, que ‘empurra’ pra ela qualquer produto apenas porque ele é patrocinador ou porque enviou meia dúzia de shampoos para a redação. A leitora decidiu ter voz e dividir informação com outras mulheres. Falar sobre bom e mau atendimento, sobre o que acontece, de verdade, na rua, e não sobre o que acontece nas semanas de moda.

Não vejo diferença nenhuma entre a revista que ‘empurra’ informação sem base (produtos que não foram testados, qualquer coisa que o Fashion Week tentou vender..) para as leitoras e a vendedora que vende até a mãe quando um cliente entra na loja. Hoje, quando compro uma revista (e isso raramente acontece), sinto que já li sobre aquela ‘novidade’ a muito tempo atrás na internet e que joguei dinheiro fora.

Esse post é um apelo/um alô para as revistas e empresas brasileiras: a mulher moderna não engole mais qualquer informação, qualquer preço ou produto. Não aceita mau atendimento, preços absurdos ou produtos que não cumprem o que prometem. Vocês só se esqueceram que a diferença entre a mulher moderna e a de 10 anos atrás é que hoje podemos compartilhar informações e não, não vamos comprar um esmalte de R$100,00 sabendo que podemos comprar dois de R$1,90 e com uma ‘misturinha’ conseguir a cor de R$100,00. Não vamos comprar uma blusinha ‘de marca’ por R$250,00 quando sabemos que vamo encontrar em uma loja de departamento algo parecido por R$30,00. Procuramos o local mais barato e dividimos o ‘babado’ na internet.

E você? Acredita mais no que encontra na internet ou na banca de jornal?

quem segura

Quem segura?

Anúncios


6 Responses to “Revistas femininas x Blogosfera”

  1. Post MARAVILHOSO! Falou TUDO! Tenho reparado muito isso ultimamente… eu peguei o hábito de antes de comprar qualquer coisa, dar uma olhada nas resenhas dos blogs…Por isso, eu acho que a gente tem que valorizar nossos blogs, é uma mídia que está crescendo muito! Ainda não é tãão conhecida, mas está em desenvolvimento!
    Muito bom o texto!

    Beijos

  2. oie… primeira vez no seu blog e adorei o texto, escreve suuuuper bem!!
    e realmente é a pura verdade, hoje em dia procuro mto mais na internet do que em revistas… e esses blogs q vc citou e q todas nos amamos, as meninas se empenham nesses blogs, e fazem um trabalho super legal pra gnt ler! =)

    parabens pelo blog!
    beijoss

    • 3 Ana Thais

      procurar na internet, além de mais rápido, também é mais barato e seguro 🙂

  3. 4 sweet and elegance

    Oie! Primeira vez que entrei aqui no blog e já amei o que eu li! Concordo muito com tudo o que você disse, desde que descobri a blogsfera (e isso faz uns 3 meses) me sinto diariamente atualizada e totalmente absurdas as matérias das revistas femininas (sobre moda, make, etc). Sempre com preços bizarros, que a grande maioria não tem acesso e que nem sabemos se é realmente bom, pois, como vc diz, não tem como confiar em um shampoo só porque mandaram meia dúzia pra redação da revista! Mas enfim, o bom disso tudo é que percebemos que estamos criando um mundinho bem atento ao usual e cotidiano, com cada vez mais seguidoras, sempre por dentro de tudo e sem precisar gastar 10 reais por 100 páginas (sendo 20 de propaganda)!

    Beijinhos!

    • 5 Ana Thais

      O que mais me incomoda nas revistas (isso em todas, não só as femininas), são as propagandas. Em sua maioria, as revistas diminuiram o conteúdo, aumentaram o preço e ficaram mais finas. Quer dizer, você paga mais caro por menos!
      Depois vem essa ‘alienação’ de publicar editoriais de moda e beleza com produtos de preços absurdos. Me diz, quem no Brasil tem dinheiro para pagar R$ 500,00 em uma blusa? É um absurdo. É tapar os olhos e fingir que o Brasil é um país que não é.

  4. 6 Alexandre

    Meninas vou confessar que adoro ficar lendo sobre o que vocês pensam e sentem, e fazem, a cada dia tento aprender um pouquinho mais sobre todas, (Ex. ler esse Blog) confesso também que a cada dia me surpreendo como são totalmente ligadas em tudo que acontece a seu redor, sempre por dentro de tudo que se passa nesse mundão, acredito que seja uma virtude, uma dádiva, digo isso meninas, porque a maioria dos homens que convivo, só sabem a respeito do assunto “futebol” e muitas outras coisas desnecessárias, que não compensa perder tempo em citar, já eu na medida do Meu possivel, pego uma “carona” nesse cometa que se chama “MULHER”!!

    Parabéns a Todas!!

    Beijos!

    Alê!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: